Notícias de Avintes - a minha crónica de Novembro

 

No próximo ano a mudança estará nas nossas mãos!

 

Nos dias de hoje é voz corrente dos cidadãos culpabilizarem os políticos por todo o “mal” que acontece no nosso país, nos nossos concelhos e nas nossas freguesias.

 

No entanto, numa sociedade republicana e democrática, como apesar de todos os constrangimentos e dificuldades, é a forma como o nosso país é governado, na verdade a última palavra e a verdadeiramente decisiva, está nas mãos de todos nós cidadãos, quer pela forma como reivindicamos os nossos direitos, mas também pela forma como exercemos os nossos deveres, nomeadamente através do voto nas eleições.

 

Por isso, na minha opinião, todos nós, uns porque pura e simplesmente não exercemos o nosso direito de voto, outros porque escolhemos muitas vezes aqueles que criticamos (vejam por exemplo como candidatos autárquicos como Fátima Felgueiras, Valentim Loureiro ou Isaltino Morais, entre vários outros casos, apesar de terem processos judiciais, vencem as eleições nos seus concelhos) na verdade temos também a nossa muito significativa quota-parte de responsabilidade no estado em que se encontra o nosso país, o nosso concelho ou a nossa freguesia.

 

Ora, como no próximo ano haverá (pelo menos) eleições autárquicas, quer os partidos políticos, quer grupos de cidadãos independentes, começam a preparar as suas candidaturas e os seus candidatos.

 

No nosso concelho de Gaia, nuns casos de forma mais ou menos camuflada e aproveitando-se dos cargos oficiais para se promoverem, noutros de uma forma perfeitamente transparente e pública, isso também está a acontecer, e por isso deixo aqui uma primeira reflexão, sobre as próximas eleições autárquicas em Gaia e sobre a possibilidade de escolha que vai ser dada aos gaienses e naturalmente aos avintenses.

 

Todos aqueles que estão cansados dos oportunistas que só usam a política para vencer na vida, vão ter desta vez a possibilidade de escolherem para estar à frente do nosso concelho alguém que aos 41 anos de idade e apesar de "fazer política" desde a sua juventude, de já ter sido 8 anos Vogal da Junta de Freguesia, 8 anos Presidente da Junta e 4 anos Vereador na Câmara, sempre continuou a exercer a sua profissão de professor universitário e dela vive.


Todos aqueles que estão cansados e desiludidos por verem o Concelho de Gaia, o terceiro concelho do país, servir para promover "políticos profissionais" que usam e abusam deste concelho para a sua promoção pessoal, que usam o concelho como trampolim para outros "lugares", que chegam não se sabe de onde, a seguir vão para Lisboa para “lugares” no seu partido ou no governo e depois regressam a Gaia, apenas pensando na sua "sobrevivência política e económica", deste vez terão a oportunidade de escolherem alguém para presidir à Câmara de Gaia, que é de Gaia, que vive e sempre viveu cá, sempre participou e participa na vida associativa gaiense (aliás enquanto jovem universitário foi dirigente da União Académica de Avintes), a quem já muitos lugares foram oferecidos, desde deputado nacional a secretário de estado, mas que sempre optou por manter a sua profissão e continuar a exercer os cargos políticos para os quais foi eleito em Gaia e não está cá, nem nunca estará, de passagem enquanto não arranja melhor.

 

Eduardo Vítor Rodrigues é um Prof. Universitário na Faculdade de Letras da UP e é um Sociólogo, respeitado pelos seus “pares”, que nunca precisou da política para viver ou para ver reconhecidas as suas capacidades intelectuais e profissionais e será por isso um Presidente da Câmara de Gaia livre, independente e capaz de romper com todos os compadrios instalados.


Desta vez, todos nós cidadãos eleitores, não podemos deitar a culpa para os partidos políticos pois a possibilidade da mudança no nosso concelho está nas nossas mãos e no próximo ano no nosso voto.


PS: Desejo a todos os amigos e a todos os leitores deste jornal um Feliz Natal e um bom ano de 2013.

publicado por Cip Castro às 11:04 | comentar | favorito