Broa de Avintes tem micotoxinas a mais?

 

 

Penso que a maioria, se não mesmo a totalidade dos Avintenses, foram ontem surpreendidos por uma notícia que saiu, em mais do que um meio de comunicação social, em que o titulo da mesma afirma:

 

Broa de Avintes tem micotoxinas a mais.

 


Para um leigo em toxinas e micotoxinas como eu, desconheço a gravidade do consumo destas substâncias para a saúde humana, mas parece-me que deve ser motivo de atenção para todos nós Avintenses, e que deve haver sem qualquer dramatismo, da parte dos principais intervenientes nesta atividade económica, mas também cultural e gastronómica da nossa terra, uma preocupação em saber o que efetivamente se está a passar, por forma a defendermos a nossa broa e ex-libris da nossa terra. 

 

Esta notícia é em primeiro lugar algo sensacionalista e pouco esclarecedora (embora refira que é seguro comer broa de Avintes), mas por trás dela, e conforme é dito, está um estudo realizado pela faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra, que seguramente será mais clarificador e com dados científicos que importa conhecer, bem como importa saber em que moldes foi feito o estudo, que broas foram analisadas (até porque existem diferentes fabricantes com algumas variantes no fabrico), quantas broas foram analisadas, em  que data, etc., etc..

 

Deve ser esta, em primeiro lugar, a nossa postura perante tal notícia, ou seja deve-se obter informações e dados mais rigorosos, e não começarmos a criticar a notícia e o seu sensacionalismo, e só porque ela nos parece pouco rigorosa e até possa ferir o nosso orgulho de Avintenses, não lhe darmos a credibilidade nem ligarmos ao estudo que lhe serve de base.

 

Assim, como Avintense e apreciador de Broa de Avintes, mas também como autarca e pessoa interessada pelo desenvolvimento de Avintes, gostaria de ver a Confraria de Broa de Avintes e todos os fabricantes, bem como a própria Junta de Freguesia, unidos num único propósito de contactarem diretamente a Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra para obterem, se possível uma cópia completa do Estudo e Resultados do mesmo, para além de recolherem as informações complementares possiveis sobre este estudo e sobre os seus resultados, bem como as implicações do consumo das tais micotoxinas para a saúde humana.

 

Na posse destes dados há que analisar que implicações os resultados podem ter no futuro da Broa de Avintes, bem como que medidas eventualmente poderão ser tomadas para, sem desvirtuar os produtos usados e o modo de fabrico e cozedura, minorar ou mesmo eliminar as tais micotoxinas, se efetivamente as mesmas trouxerem problemas para a saúde humana.

 

É este o meu desejo, estando totalmente disponível para, dentro do que me for possível, apoiar todas as iniciativas e todas as entidades, na defesa da Broa de Avintes.

 

publicado por Cip Castro às 13:27 | comentar | favorito