Um ponto final, num edifício com muita história!

Nesta vida tudo tem um princípio e um fim e ontem, com grande tristeza minha, coube-me a ingrata tarefa de enquanto actual Secretário Coordenador da Secção de Avintes do PS, pôr um “ponto final” oficial na primeira e até agora única Sede da Secção de Avintes do Partido Socialista.

 

Aberta em Agosto de 1974 foi durante 38 anos a sala de reuniões e de encontros dos socialistas avintenses, por onde passaram desde os simples militantes anónimos locais a destacados dirigentes concelhios, distritais e mesmo nacionais.

 

Foi um local onde se comemoraram grandes vitórias, algumas derrotas, onde se debateram muitos assuntos, principalmente relacionados com Avintes, mas também assuntos regionais e mesmo nacionais, foi um local onde se discutiu politica, mas também se tomou café, jogou cartas, dominó, ou viu televisão.

 

No inicio, nos “gloriosos” primeiros anos da “Revolução dos Cravos”, era um local diariamente frequentado pelos militantes, nessa altura sempre muito activos e participativos, quer no debate politico, quer no simples convívio diário para tomar café ou beber uma cerveja, principalmente nas quentes noites do “Verão de 75”, depois lentamente com o apagar-se da “chama revolucionária”, passou a ser local apenas de reuniões dos militantes e das eleições internas do partido.

 

Sendo um edifício com mais de 100 anos, enquanto a estrutura do mesmo o permitiu os dirigentes do PS foram fazendo a sua conservação interior e mesmo em pequenas partes ao nível exterior, mas com o decorrer dos anos e não havendo as necessárias manutenções exteriores, principalmente ao nível do telhado, as infiltrações das chuvas tornaram o espaço com muito poucas condições de habitabilidade e agora já mais recentemente, ameaçando ruína, pelo que por decisão (“dolorosa” face ao que aquele espaço significava principalmente para os mais antigos) dos militantes do PS da Secção de Avintes, reunidos em Assembleia-geral de Militantes, decidiu-se entregar de livre vontade e definitivamente as instalações aos seus proprietários.

 

Foi o que ontem concretizei, tendo sido acompanhado, nesta para mim ingrata tarefa, por um dos militantes fundadores da secção, Daniel Castro (Lelo), que alegremente em 1974 assinou o contrato de aluguer e agora tristemente entregou as “chaves” aos actuais proprietários.

 

Mas o curioso é que estas instalações, que abrigaram nos últimos 38 anos a sede do PS Avintes, têm uma história de mais de 100 anos!

 

Na verdade o Grupo Mérito Dramático Avintense, fundado em 8 de Fevereiro de 1910, teve desde essa data e até 1963, naquelas mesmas instalações a sua sede, pelo que dentro daquelas 4 paredes, durante mais de 50 anos houve muita cultura, muito teatro e muita beneficência.

 

Por isso muito do que o Mérito é hoje começou também naquele espaço!

 

Mas não fica por aqui a história daquele edifício, antes de se ter tornado a sede do PS Avintes!

 

Depois de o Grupo Mérito ter mudado para a actual Sede na Rua 14 de Maio, no ano de 1963, aquelas instalações passaram da cultura para o ensino, tendo sido lá que no período entre 1963 a 1974 (não sei exactamente durante quantos anos), decorreram as primeiras aulas do ensino “secundário” em Avintes, concretamente as aulas da TELE ESCOLA, ministradas durante a tarde via televisão e acompanhadas depois naquelas salas, creio que pelos professores Américo Esteves e Ramos.

 

E é assim que de forma inglória, e pelas “minhas mãos”, provavelmente terminará (pois não me parece que os actuais proprietários tendo deixado o prédio degradar-se a tal ponto, o pretendam recuperar) a vida de um edifício que no seu interior, muito “guardará” (enquanto resistir de pé) da história da cultura, do ensino e da política de Avintes, nos últimos 100 anos.

Vista aérea do Edifício

Aspecto edifício antes de se tornar na Sede do PS Avintes

 

As "Florinhas de Avintes" na entrada do edifíco ainda sede do Grupo Mérito (anos 50 do Séc. XX)

Interior do edifício, na altura sede do Grupo Mérito, numa organização das "Florinhas de Avintes".

publicado por Cip Castro às 11:02 | comentar | favorito