Abrir novos horizontes aos jovens Avintenses

Aprendi desde criança a gostar de discutir politica, em todas as suas vertentes (tinha 10 anos quando se deu a revolução do 25 de Abril) e a participar directamente na política partidária (fui militante da JS desde os meus 16 anos), pelo que tenho já uma longa “caminhada”, feita sempre em aprendizagem e em crescendo de responsabilidades, sendo que cada nova etapa é assumida naturalmente pela experiência antes adquirida.

 
Este meu “gosto” pela politica, vem por um lado de uma alguma tradição familiar republicana, mas principalmente pela minha forte ligação ao meu pai, pessoa que continuo a admirar muito, mas foi sempre feita sem interesses económicos, nunca estando à espera da politica para fazer carreira profissional, ou de depender da mesma para o meu “ganha-pão”, pelo que felizmente, sou livre de pensar e principalmente dizer e agir como penso ser o mais justo e acertado.
 
As minhas ideias e convicções politicas não mudaram muito, ao longo da minha vida de 46 anos, havendo apenas a natural evolução, fruto da vivência e da experiência que a idade nos vai trazendo, não tendo felizmente, como muitos outros que conheço, que andar a desdizer coisas que antes defendia convictamente (será?), ou ainda pior, não ando hoje ao lado daqueles a quem quando era mais jovem, atirei “pedras”, ou chamei de fascistas e coisa piores, pois nunca fui um jovem “leninista” ou “maoista” e coisas do género.
 
Ensinaram-me desde criança a defender a democracia, a acreditar que o socialismo em democracia, ou se quiserem a social-democracia, é possível (se bem que hoje este objectivo de vida em sociedade, esteja bem mais longe de se concretizar, que há 30 anos atrás), que o respeito e a defesa da natureza e do ambiente em que vivemos é fundamental (sou sócio da Liga para a Protecção da Natureza, há mais de 25 anos) pelo que foram sempre e continuam a ser hoje, estes os ideais e valores pelos quais luto e defendo politicamente.
 
É por tudo isto que na minha intervenção politica, e mesmo na minha vida em geral, as crianças e principalmente os jovens, são a minha principal motivação, pois considero que é quando jovens que devemos “aprender” a gostar de viver, a gostar de respeitar os outros, a gostar de defender a natureza, mas também a “conhecer”, conhecermo-nos primeiro a nós enquanto um povo e uma nação, mas também conhecer novas realidades, novas culturas, ou seja, precisamos de gostar do que somos, mas também respeitar os outros e para isso a educação e o “conhecimento” são fundamentais.
 
Vem tudo isto a propósito, de uma iniciativa que propus e lancei, enquanto membro do Executivo da Junta de Freguesia de Avintes e que este ano está na sua 3ª edição, o Fórum Avintense JOVEM, cujo objectivo principal é “meter” os nossos jovens a pensarem e a falarem da sua terra, mas também proporcionar-lhes novos conhecimentos.
 
Ao longo destas 3 edições do Fórum Avintense JOVEM, foi possível trazer até Avintes, 5 jovens escritoras (Ana Macedo, Inês Botelho, Ana Marta Brito, Joana Lopes e Liliana Bastos) para falarem do seu gosto na leitura e na escrita, e um especialista sobre Segurança na Internet (Dr. Tito de Morais) para nos falar sobre como proteger os jovens.
 
Igualmente conseguimos que os nossos jovens apresentassem trabalhos sobre,
“O que significa para um jovem, ser avintense”, “As colectividades e os clubes de Avintes”, e já este ano o tem foi “Avintes no futuro, a visão dos nossos jovens”.
 
Finalmente, o Fórum Avintense JOVEM proporcionou aos mais de 60 jovens que participaram nestas 3 edições a possibilidade de conhecerem “por dentro”, o Palácio de S. Bento e o funcionamento da Assembleia da República, tendo inclusive convivido com alguns deputados, visitarem o Palácio de Belém e perceberem como “funciona” a Presidência da República, e este ano vão no próximo Sábado, visitar o Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota e ficarem a conhecer um dos “pontos altos” da nossa história.
 
Passa também muito por esta possibilidade de intervir junto dos jovens, que me faz continuar a gostar da política, mesmo nos momentos em que certas atitudes de alguns agentes políticos me dão alguns “vómitos”!
 
Por isso convido-vos para na 6ª feira, dia 4 de Setembro, pelas 21h30m, irem até à Junta de Freguesia de Avintes e assistirem à apresentação dos trabalhos dos jovens participantes no 3º Fórum Avintense JOVEM e na entrega dos Diplomas de Mérito Escolar aos melhores Alunos da Escola EB 2.3 de Avintes.
 
“Vale sempre a pena, quando a alma não é pequena”.
publicado por Cip Castro às 17:49 | favorito