Câmara de Gaia em "peso" no Centenário do Grupo Mérito

A Câmara de Gaia esteve ontem à noite representada ao mais alto nível (só faltou mesmo o Dr. Filipe Menezes) na Sessão Solene Comemorativa do Centenário do Grupo Mérito, com a presença do Sr. Vice Presidente e mais 4 Vereadores.

 

O Dr. Marco António deixou a promessa de mais 66 mil euros para a colectividade (prenda de aniversário), para a colocação do "ar condicionado" no auditório e para  uma nova instalação eléctrica no palacete-sede, enquanto o Vereador Mário Dorminsk prometeu apoio para a classificação deste edifício como património municipal!

 

Congratulo-me e faço votos que estas promessas sejam cumpridas, quanto antes, pois pelo que me é dado saber o Grupo Mérito ainda aguarda para receber uma parte de um subsidio da CMG de 2008!

 

Relativamente à Junta de Freguesia, que também este presente "em força", o Sr. Presidente, Dr. Nuno Oliveira fez apenas um pequeno discurso de circunstância.

 

Será que 100 anos de actividade não mereceriam mais "alguma coisinha"  da nossa Junta de Freguesia?

 

A terminar deixo-vos a minha intervenção, feita na qualidade de Presidente da Assembleia Geral do Grupo Mérito:

 

 Exmo. Senhor Vice-Presidente da Câmara Municipal de Gaia

Exmo. Senhor Presidente da AMGaia
Exmos. senhores Vereadores da CMGaia
Exmo. Sr. Representante da Direcção Regional da Cultura do Norte
Exmo. Senhor Presidente da Junta de Freguesia de Avintes
Exmos. Membros da Junta de Freguesia de Avintes
Exma. Senhora Presidente da AF de Avintes
Exmos. Membros da AF de Avintes
Reverendo Padre da Paróquia
Caros representantes da Federação das Colectividades do Porto e Associação das Colectividades de Gaia
Caros representantes das colectividades de Avintes
Caro Presidente da Direcção do Grupo Mérito
Caras senhoras e senhores associados e muito especialmente os homenageados
Caros membros da comunicação social
Minhas senhoras e meus senhores
 
Quero primeiramente agradecer a todos vós, sem excepção, a presença neste auditório.
Estar aqui hoje, a presidir a esta cerimónia, é para mim motivo de satisfação, mas também de responsabilidade, pois se por um lado estamos a festejar o primeiro centenário desta colectividade, também estamos como que no momento de reiniciar ou se quiserem de fazer renascer o Grupo Mérito, dotando-o das condições para que os que nos seguirem no tempo, possam estar daqui a 100 anos a comemorarem o segundo centenário.
Por isso e mais do que estar aqui a lembrar ou a enumerar tudo aquilo que foi o Grupo Mérito nestes 100 anos, até porque isso será objecto de umas das iniciativas destas comemorações, quando for apresentado o livro do centenário, que já está em preparação, gostaria mais de reflectir um pouco sobre o presente e o futuro desta colectividade e do associativismo em Avintes.
Estou certo de que para todos os presentes e em especial para os Avintenses, não sofre grande contestação, a afirmação de que Avintes é uma terra de grandes tradições ao nível do associativismo, principalmente mas não só, nas colectividades de cultura e recreio.
Julgo que sem errar, com excepção da União Académica, as nossas mais antigas colectividades, tiveram o seu nascimento ou ainda no final do século XIX, casos da ACMA - Banda Musical, do Clube Recreativo Avintense e da Associação de Socorros Mútuos “A Restauradora”, ou no primeiro terço do século XX como foi o caso do Grupo Mérito, e também dos “Plebeus”, do Futebol Clube de Avintes, do Núcleo Columbófilo, dos “Restauradores ” e dos Bombeiros Voluntários.
O seu nascimento constituiu sempre, um valor acrescentado para a população de Avintes e arredores, tendo conseguido qualquer uma delas ao longo dos tempos, (e só por isso se mantiveram até aos dias de hoje), e como dizia, qualquer uma delas consegui valorizar nas várias vertentes das suas actividades, os seus associados e a população em geral.
Torna-se porém necessário constatar que estamos numa época de profundas mudanças na sociedade e de que Avintes não é excepção, e tudo aquilo que motivava e valorizava as populações à 100, 75, 50 ou até mesmo à 25 anos atrás não é seguramente o que as motiva “hoje” e muito menos o que as motivará “amanhã”.
Nesses tempos passados, uma colectividade que possui-se uma biblioteca, era sem dúvida importante para a formação e instrução dos seus associados, mas hoje, para se possuir uma boa biblioteca esta precisa de ser permanentemente actualizada e complementada com a aquisição de meios multimédia, por exemplo, para poder atrair os mais jovens e tudo isto fica muito caro.
Os jogos tradicionais como “as damas”, “as cartas”, o bilhar ou a mesa de “ping-pong” foram e são ainda excelentes jogos para passar algum tempo, mas hoje existem também jogos electrónicos ou jogos de computadores e a Internet, equipamentos sem os quais dificilmente aparecerão novos associados.
Um aparelho de televisão trazia muitos associados às sedes quando era raro ter um em casa, mas hoje em dia praticamente toda a gente tem pelo menos uma televisão em suas casas e não chega ter essa televisão no bar da colectividade, para “chamar” por si só os associados.
 As nossas colectividades sempre foram e ainda são um dos nossos maiores valores, nesta área da cultura, recreio, desporto e solidariedade, mas para continuarem a sê-lo, terão de estar atentas às novas realidades.
Sem dúvida que é importante continuar com o teatro, um dos baluartes da nossa cultura e tradição, mas é necessário, (como felizmente tem vindo a acontecer nos últimos anos no Grupo Mérito, realidade que conheço melhor, mas acredito que o mesmo se passe nas outras colectividades), e dizia é necessário trazer encenadores com experiência e capacidade para não só formarem novos actores, como inovarem as peças e assim trazer os mais jovens para o teatro.
Mas, era também importante pensarmos se não seria viável a criação em Avintes de uma escola profissional até ao 12º ano, com cursos na área das “artes de palco” e da música. Seria uma mais valia para os nossos jovens e algumas das colectividades de Avintes, como o Grupo Mérito, poderiam ser parceiras dessa escola.
Outras das vertentes em que as nossas colectividades poderão ter um papel importante, será na realização de actividades para a terceira idade. Assistimos cada vez mais ao envelhecimento das populações, um dos exemplos desse envelhecimento temos aqui, na zona envolvente ao Grupo Mérito e uma parte dos nossos associados são também pessoas já de bastante idade, pelo que uma colectividade como o Grupo Mérito pode e deve, em minha opinião, encarar esta realidade, como uma oportunidade para novas actividades direccionadas para este tipo de associados.
Isto tudo são evidentemente ideias, que carecem de amadurecimento, mas que estou certo que, muito brevemente, poderão ser fundamentais para a viabilidade futura de uma colectividade, como o Grupo Mérito.
Não vou alongar mais esta minha intervenção, mas gostaria de terminar neste dia de festa, a dizer aos associados, principalmente àqueles que por isto ou por aquilo se têm afastado mais desta casa, que o Grupo Mérito é de todos os seus associados e só com o contributo de todos será possível continuar o legado daqueles que no dia 8 de Fevereiro de 1910 fundaram esta colectividade, bem como de todos os outros, que se seguiram e que permitiram manter vivo e activo o Grupo Mérito, até aos dias de hoje, os quais alguns deles estamos aqui hoje a homenagear.
A todos muito obrigado mais uma vez pela vossa presença e parabéns ao Grupo Mérito.
 
Cipriano Manuel Castro
Presidente da AG do Grupo Mérito

 

publicado por Cip Castro às 09:47 | comentar | ver comentários (4) | favorito